sábado, 16 de dezembro de 2017

ÁGUAS

Ainda dói
um bocadinho.
Corrói
alguma mágoa.

É água estagnada
querendo escoar.

Mas já há
muito avanço!
Ranço que não
volta.

Água
que se amolda
ao formato
do lugar.

Se a lágrima
ao olho verte
todo sentimento
inerte
vem à boca
com gosto
de água do mar.

DESCALÇA

Ando descalça
nessa terra
que é meu ser.

Custo a perceber
que a textura
me apraz.

Sinto o contato,
a temperatura,
o formato...
como quem explora
e se torna capaz.

Me delicio
nos rios de lágrimas,
mas também
nas montanhas
que me enchem
de paz.

Me descobrir
terreno tão variado
traz cura para o enfado
transforma o estrago
em cais.

VERSÕES DE MIM

Gosto de me sentir
viva.
De ser forte,
pró-ativa.

Gosto de ser vista
como o centro
das atenções.

Meu lado egoísta
precisa ser artista
como quem precisa
esconder as emoções.

Gosto de estar sozinha
quando a inspiração
se avizinha
me mostrando
a direção.

Sofro todas as dores
de todos os amores
como quem precisa
sentir
sem moderação.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

CAMINHOS DO DESPERTAR

Há estilhaços de mim
por todos os cantos
e, por encanto,
prefiro ficar.

Deixo a bagunça
ser companheira
da criança
e da guerreira.

Me encontro
livre
nos caminhos
do despertar.

Saber ser forte
é tão importante
como saber brincar.

domingo, 9 de abril de 2017

CONTRARIADA

Nenhuma luz
refletiu
seus olhos.

Nem em sonho
quis ser
seu par.

Mas que azar
te encontrar
no caminho!

Que imbróglio
me contrariar.

Te levaria
pra festa
ligeira

no sol
me deixava
queimar.

Mas não era
tempo de seca.

Não tinha
brisa de mar.